Muitas vezes chamada de “aula de reforço”, “defasagem escolar” e “gestão da sala de aula”, a recomposição das aprendizagens se apresenta como um elemento crucial na garantia dos direitos educacionais de todos os estudantes brasileiros. Embora a pandemia da COVID-19 tenha agravado as lacunas no aprendizado, é crucial reconhecer que tais defasagens já eram um problema muito presente nas escolas brasileiras, especialmente em áreas como a alfabetização. 

Com o objetivo de traçar uma política nacional sobre o tema, foi assinada no dia 30/08, na XII Reunião Nacional da ABAVE (Associação Brasileira de Avaliação Educacional) uma carta de intenção para a criação de um Pacto Nacional pela Recomposição das Aprendizagens. O documento é uma colaboração entre o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Ministério da Educação e representa um avanço significativo para a causa e para a redução das desigualdades. 

Esta iniciativa alinha-se perfeitamente com as prioridades do Movimento pela Base e com os princípios da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que devem servir de guia para abordar as desigualdades de aprendizagem.

E quer saber na prática como pode aplicar ações de recomposição na sua escola? Acesse as nossas Fichas de Recomposição de Matemática e Língua Portuguesa. 

 

Últimas